03 outubro, 2016

#30diasdruídicos: Dia 29 - Futuro

O futuro é incerto e imprevisível. Por mais que usemos métodos divinatórios, as respostas que obtemos são fragmentos de possibilidades ou orientações que, se seguirmos, podem nos resultar bons frutos. Eu não acredito que a história de cada pessoa já esteja escrita e seja imutável. Eu acredito nas possibilidades e na nossa capacidade de escolha para moldar nosso próprio futuro. Mas, ainda assim, também acredito que existem algumas coisas que os Altíssimos nos preparam, com algum tipo de "propósito". Como disse no texto de ontem sobre o Caminho, cada pessoa tem o seu e muitas vezes nasce com o propósito de trilhá-lo. Ele se apresenta para nós, e então chega a oportunidade de escolher como moldar isso.

Certa vez, no ano de 2015, em paralelo com meu grupo de Druidismo, eu fazia parte de um grupo de estudos feminino de Bruxaria Tradicional Moderna, permaneci com elas por 4 meses. Próximo de minha saída (que eu não sabia ainda que iria ocorrer) eu tirei uma jogada simples de Tarot e ele me revelou algo que começou a acontecer bem rápido até. A jogada foi a seguinte:

- Onde estou?
A Roda
- Para onde vou?
A Vidente
- Quem me guia?
O Xamã
Na época eu interpretei por pura intuição, já que não sou muito entendida de Tarot. E minha interpretação foi que, basicamente, eu estava em um período de mudanças. Mudanças viriam e afetariam meu caminho de Vate dentro do Druidismo. Eu entendi que haveria um grande progresso no meu oficio de vaticínio, e quem me guiaria nisso tudo eram espíritos ancestrais. Talvez antigos praticantes da Arte, espíritos da tradição ou até mesmo algum/alguma pessoa viva sábia ou mestre que me auxiliaria em minha jornada.  
Bem, acontece que as mudanças vieram rápidas. Os meus estudos dentro do Ramo de Carvalho se tornaram muito intensos e era hora de me despedir do Conclave. Foi triste ter de sair, mas eu sabia que a roda continuava girando e eu não poderia atrapalhar seu movimento. A minha espiritualidade evoluiu muito e o contato com o Outro Mundo se tornou cada vez mais intenso. Tempos depois, fui iniciada no Druidismo e a roda continuou girando.
Mas, apesar de tudo, as mensagens dessas cartas não se cumpriram por completo, eu acredito que só se completará quando minha carne morrer e meu espírito partir. Essa mensagem diz respeito à toda minha caminhada pela Terra. Meu aprendizado nunca acabará e ao longo da vida eu vou encontrando vários "xamãs" para acrescentar conhecimento e experiência em minha bagagem.

A Roda vai girando e o futuro vai sendo tecido, hora pelas minhas próprias escolhas, hora pelos Deuses, hora pelos meus guardiões. Mas, é essencial que para que haja um futuro, o hoje seja bem vivido e bem construído.

~ Jully Boduogena ~

Foto retirada do Google