27 setembro, 2016

#30diasdruídicos: Dia 24 - Trabalho



Eu estava me perguntando o que poderia escrever sobre Trabalho, já que geralmente é algo maçante que somos obrigados à fazer para não passar fome. Mas, então percebi que trabalho e druidismo andam juntos. Afinal de contas, os Celtas eram trabalhadores e exerciam com excelência os cargos que ocupavam.

Ferreiros, artesãos, curandeiros, conselheiros, guerreiros, agricultores, poetas, músicos, etc. Eu não estava lá para ver, mas acredito que faziam com paixão e dedicação as suas tarefas. Cada um tinha sua vocação e seguiam estes caminhos que certamente preenchiam seus dias e seus corações.

Então volto meus olhos para os dias de hoje, onde poucas pessoas tem a oportunidade de fazer exatamente aquilo que ama. A maioria escolhe uma profissão ou porque dizem por aí que paga bem, ou porque é a única opção no momento. Muitas se sujeitam à trabalhos escravos e à condições precárias de trabalho justamente por não ter outra opção. E dessa forma temos uma sociedade com pessoas cada vez mais deprimidas, indecisas, viciadas em antidepressivos e sem expectativa de vida. A maioria está com os olhos todos voltados para a vida profissional e esquece que o mundo vai além daquele escritório sujo com fedor de café velho. Em contrapartida, não é possível dizer para todos largarem seus empregos e irem atrás do verdadeiro sonho, justamente porque a sociedade atual não nos permite viver tantas aventuras assim. Temos contas para pagar e tudo custa muito caro.

Quando paro para analisar tudo isso, sou tomada por uma desesperança. Vivemos em uma realidade muito difícil para realizar sonhos. E aqui eu poderia dizer aquelas frasezinhas clichês de "continue lutando, não desista dos seus sonhos, vc pode ir além" e blábláblá. Realmente, com muito suor e batalha, ALGUMAS pessoas podem conseguir chegar a algum lugar (seja lá o que for isso) e isso também envolve a questão das oportunidades que a maioria das pessoas não tem.

Resumindo: hoje eu faço parte do grupo de pessoas que acorda cedo, passa o dia todo trancada numa salinha em frente ao computador, sai da empresa já com a noite estabelecida no céu.. Hoje faço parte do grupo de pessoas que tem suas vidas sugadas pela empresa e pelo sistema e não sobra muito tempo e dinheiro para viver. E pior ainda, faço parte do grupo de pessoas que não exerce a profissão dos sonhos. Mas, estamos aí. Os sonhos continuam e faço minha parte para realizá-los. Se um dia não der certo, terei a consciência tranquila de que não foi por falta de tentar.
E por fim, ao menos me orgulho de não fazer parte do grupo de pessoas entupidas de antidepressivos. Pois, se tem uma coisa que aprendi com o Druidismo é que o trabalho cotidiano faz parte, mas minha felicidade não deve ser embasada nisso. Existem coisas maiores para voltar meus olhos. E quando a espiritualidade está bem trabalhada, todo o resto é fichinha.

E sempre existe a opção de realizar outras tarefas em paralelo com o trabalho, mesmo que estas não ofereçam dinheiro, mas oferecem alimento para a alma. Afinal, nem tudo deve girar em torno do dinheiro, não viemos ao mundo apenas pelo dinheiro, viemos para viver uma vida, aprender, realizar, evoluir, conhecer a nós mesmos e isso dinheiro não oferece. Para onde vamos após perder nossos corpos físicos não há cifrões.

~ Jully Boduogena ~