19 setembro, 2016

#30diasdruídicos: Dia 22 - Família/Amigos



Eu cresci ouvindo de meus pais: "Seus únicos verdadeiros amigos estão aqui, dentro de casa". E apesar de crescer ouvindo isso, nunca considerei uma verdade.  Aliás, sempre considerei uma meia verdade. Minha família é minha amiga, mas até certo ponto. E antes que você surte, vou explicar.

Os laços familiares obviamente são extremamente profundos, ou pelo menos, deveriam ser. E sem sombra de dúvidas, muito importantes. Pois sem eles, não existiríamos. Os celtas valorizavam profundamente a família, isso é perceptível nos mitos. Honra-se sempre os Ancestrais, e ancestrais obviamente são pessoas falecidas membros de sua família. Pessoas que carregaram seu sangue e sua história antes de você. Existe uma conexão e uma importância no círculo familiar. E por família, não entendo apenas homem + mulher + filhos. Que fique bem claro.  Considero todo tipo de estrutura familiar válida.
É dentro do ambiente familiar que a maioria da nossa educação vem. Costumes, ideologia, ética, tradição. Isso é esperado que ocorra dentro de uma família: uma estrutura de aprendizados. Obviamente que isso não significa que, ao decorrer de nossas vidas, não possamos mudar nossa conduta e não possamos desenvolver nossas próprias ideologias e conceitos sobre a vida, inclusive é isso que deve acontecer, claro. Afinal, o mundo evolui e nós também.
Enfim, que a família é um elemento importante no crescimento de um indivíduo, isso é fato.

O que acontece ao decorrer de nossas jornadas é que, muitas vezes, não encontramos dentro da família o apoio ou a compreensão de alguns de nossos ideais. E é exatamente aí que surgem os amigos. O que unem os amigos são os interesses em comum. Costumamos nos identificar com pessoas que defendem as mesmas causas que nós ou que acreditam nas mesmas coisas. E é por isso que, nem sempre, podemos dizer com certeza absoluta que nossos melhores amigos estão dentro da família. Honrar os Ancestrais ou nossos familiares não é morrer de amores e nem forçar uma amizade. É reconhecer a importância deles para que você esteja vivo. É ser grato pela sua existência e pela história que cada um carrega ou carregou. Até mesmo porque, muitas e muitas pessoas vivem em um ambiente familiar desestruturado ou turbulento, com agressões físicas e verbais, assédios e abusos. E esse tipo de coisa não deve ser relevada. Não dá para ser amigo de uma pessoa que te agride e humilha, mas ainda assim, é necessário reconhecer o papel daquela pessoa para que você viesse a existir. Entendem a diferença?

Agora sobre amigos, eu acredito que muitos deles são pessoas que temos laços eternos que se mantém vida após vida, os chamados 'Anam Cara', que significa 'Amigo da Alma'. Acredito que vivemos reencontros, mesmo sem saber.
O Druidismo me trouxe uma enorme possibilidade de amizades, muitas delas se tornaram irmãs ou irmãos para mim. A princípio, o que nos uniu foi o interesse no Druidismo. Ao longo do tempo os laços foram se tornando cada vez mais fortes e o amor também. Hoje tenho pessoas comigo que mataria para defender. Me tornaria um cervo com enormes galhadas para despedaçar quem ousar fazer mal. Bem como, existem pessoas que foram grandes amigas minhas, mas que hoje em dia não sinto a menor vontade de estar por perto pois, muita coisa muda. As energias mudam. E quando os interesses e causas são completamente diferentes, a amizade enfraquece. E isso é um processo natural da vida. Pessoas vem e vão o tempo inteiro. Mas tem algumas que ganham espaços importantes dentro do coração e essas eu sei que levarei e encontrarei em muitas outras vidas.

Aos amigos que me distanciei: não me cobrem, não se aborreçam, não se entristeçam, apenas entendam. Nossos interesses hoje são completamente diferentes. Nossas causas e nossas formas de ver a vida já não estão em sintonia. E está tudo bem.
Aos meus familiares (se é que algum dia lerão isso): Existe sim amizade verdadeira e duradoura fora de casa e acreditem, elas são essenciais!

Amigas e Irmãs unidas pela Magia <3