13 agosto, 2016

#30diasdruídicos: Dia 3 - Terra e Natureza



Começo esse texto ao som de pássaros cantando próximos à janela. Logo cedo a vida na natureza começa feliz. O cheirinho do mar me fazendo lembrar da vasta e enigmática vida das profundezas. E isso tem tudo a ver com o tema de hoje.

Pra começar, vamos falar um pouquinho da Terra. Isso, com T maiúsculo, que indica que estamos falando do nosso lindo planeta. Todos sabemos da importância dela. Basicamente, a Terra per si é um organismo vivo e que gera vida. Não é só a nossa casa, mas também aquela que nos oferece alimento, matéria prima e condições naturais para que sobrevivamos, juntamente com o Sol que nos nutre. Hoje sabemos que, Ela faz parte de um sistema Solar, e que é apenas mais um entre sabe se lá quantos planetas existentes em todo o Espaço. Graças à ciência, podemos hoje entender muita coisa à respeito dela e do Universo

Mas e quanto aos Celtas? Não temos certeza. É bem provável que eles tinham alguma noção de que a Terra é redonda e que além do céu haviam coisas que influenciavam a vida aqui, como a chuva, o Sol, a Lua, as estrelas. Alguma noção havia, pois os druidas também estudavam astrologia. Há também, os monumentos megalíticos construídos e alinhados de acordo com os fenômenos astrológicos - deixando claro aqui, que estes monumentos não foram construídos pelos celtas, eles já estavam lá quando estes chegaram. Ou seja, alguma coisa se passava nas cabecinhas celtas, mas não temos certeza do quê exatamente. Todavia, o que podemos claramente afirmar é sobre a importância que esse povo dava à Natureza.

Basta analisar os mitos. Rios, montanhas, mares, árvores, ervas, animais. Além de aparecerem constantemente como cenários, eram associados à divindades. Rio Boine, associado à deusa Boand, Manannán Mac Lyr(Manannan filho do mar), regente dos mares, deuses que tomavam a forma de animais, temos o Ogham, que cada fid representa uma árvore sagrada.
Os celtas eram animistas, ou seja, acreditavam que tudo na natureza possui um espírito. Inclusive árvores, pedras, montanhas, rios, plantas, animais, enfim, tudo. Eles também eram agricultores, viviam do que a Terra oferecia e dependiam dos ciclos das estações. Desta forma, eles honravam a Terra que os nutria e viviam em harmonia com os ciclos naturais.
Os mitos celtas nos ensinam que não somos superiores aos outros elementos da natureza. Aprendemos que um animal, uma árvore, uma pedra, são tão importantes quanto nós. E quando existe essa compreensão, existe também o respeito pela vida e pelo ambiente que nos cerca. Essa é uma lição muito importante deixada pelos celtas.

E então, analisando friamente o nosso mundo atual, podemos dizer que a humanidade compreende esse ensinamento? Rios poluídos, florestas desmatadas, animais sendo extintos, o verde cada vez mais cinza. O ego de 'grandes homens' sendo alimentado a cada dia com mais destruição em prol de números maiores em suas contas bancárias.
Em contrapartida, é possível observar que, mesmo que pequena, uma mudança está começando acontecer. Mais pessoas conscientes estão surgindo com ações que podem motivar outras pessoas. Jardins suspensos, hortas, projetos de conscientização, mutirões de limpeza e de plantio. No fundo, ainda há uma esperança de que algumas coisas mudem.

A Terra é nossa mãe e nós devemos cuidar dela, para que, cuidemos de nós mesmos. A Terra, certamente sobrevive sem nós, pois, como dito acima, ela é um grande organismo vivo que gera vida, mas, nós certamente não vivemos sem ela. Se por ventura, houver um futuro apocalíptico, com a nossa ausência, a Terra se refaz e um novo ciclo se inicia.


Para finalizar, vamos aproveitar a sacralidade da Natureza para nos conectar com nossos Deuses e Espíritos que nela habitam. Coloquemos os pés descalços na terra fria, vamos abraçar árvores, mesmo que pareça ridículo à outras pessoas, esse é um ótimo exercício de reconexão. Respiremos fundo o ar com cheiro de chuva, o vento da praia e a respiração das matas. Pulemos 9 ondas para encontrar com Manannán, façamos oferendas nos bosques, observemos as mudanças das estações. Sejamos gratos, todos os dias, pelo alimento, pelo Sol, pela água, pelo ar que respiramos. Não estamos separados da Natureza, somos parte dela e todos os outros seres são tão importantes quanto nós. Lembremos disso todos os dias!



~ Jully Basilio (Boduogena) ~