30 agosto, 2016

#30diasdruídicos: Dia 15 - Histórias


Primeiramente, te aconselho dar play no vídeo abaixo. Escute a bela canção enquanto se aventura pela história:




Lá estava eu novamente, sentada à beira do Mar quando a menina-foca apareceu. Sentou-se ao meu lado e disse: 

- Hoje não viajaremos pelo mar, menina. Quero apenas te contar uma história. - disse calmamente, enquanto ajeitava seu belo casaco. Então continuou:

- Há muitos anos atrás, um homem conheceu uma mulher. Ambos tinham vidas normais até se encontrarem. Eles se apaixonaram e desde então não se separaram mais. 
A vida de ambos foi muito sofrida. Ele, de família pobre vinda do interior do mundo, acostumado com a vida dura da lavoura, cresceu com o coração cheio de sonhos apesar das dificuldades. Ela, cresceu com um pai que a espancava sem motivo aparente. Diversas vezes brigou com o próprio estomago devido à fome. Era humilhada pelas outras crianças devido à sua roupinha rasgada e os chinelos velhos. Não foi uma infância fácil mas, ainda assim ela manteve a esperança acesa em seu coração. Sempre dizia que quando crescesse jamais iria passar fome novamente.
Então ele e ela cresceram, mudaram suas vidas e construíram suas histórias, até que se conheceram. Eles enfrentaram diversos perigos e dificuldades juntos. Derrotaram gigantes, viajaram longas distancias, presenciaram guerras familiares, até que, finalmente encontraram uma casa em meio à floresta e lá permaneceram durante longos anos.
O amor dos dois deu origem à uma nova vida. Uma pequena criança de cabelos longos e escuros e olhos cor de jabuticaba. A menina tinha talento com os animais e vivia enfiada no bosque. A floresta era seu refúgio e seu reino. A criança cresceu e virou mulher. Enfrentou seus próprios desafios e batalhas até ser vista diante dos Deuses como Boduogena, a Filha do Corvo. Ela continuou a história de seus pais. Os pais continuaram a história de seus avós, que continuaram à dos bisavós e assim em diante, desde o começo de tudo. Sua história te faz lembrar de quem você é e é o que te mantém viva. Enquanto contarem a sua história, você existirá nos corações daqueles que a ouvirem. Da mesma forma, são seus antepassados e seus Deuses. As histórias os mantém vivos e pulsando dentro de você e pelo mundo. Jamais esqueça das histórias. Mantenha-as vivas dentro de ti e conte-as por onde quer que for. E sobre sua própria história, saiba escolher o que deixará para ser contado. Viva intensa e maravilhosamente seus dias no mundo dos Humanos, inspire todos que conhece e dessa forma, viverá para sempre. Mas te garanto, menina, essa não é uma tarefa fácil, mas acredito em você.

A menina-foca então caminhou lentamente até o mar, tornou-se foca e voltou para seu mundo profundo e misterioso, cheio de histórias inspiradoras. E, depois disso, eu compreendi a importância de manter vivas todas as histórias que conheço, e também percebi a responsabilidade que é viver uma história de honra, para, se der sorte, ser contada pelos que permanecerão depois que eu partir.


~ Jully Boduogena ~