06 janeiro, 2016

#deusa: Sadb - A Deusa Cervo dos gaélicos



Se os galeses possuem Elen no Mabinogion, os gaélicos possuem Sadb (ou Sadhbh, Sadbh, Saba, Sadv) no Ciclo Feniano. A história que contarei a seguir será a precursora de outros textos em que abordarei os atributos de Sadb, mas para que estes existam é necessário que se conheça a trajetória dessa deusa.
Peço que preparem um chá quentinho e se acomodem confortavelmente, pois a história vai começar.

ERA UMA VEZ...


Há muito tempo atrás, tanto tempo que nem se pode contar, vivia no mundo das fadas uma bela moça meio banshee, meio gente, meio deusa. Não se sabe ao certo, pois dizem que as coisas no Outro Lado nem sempre são o que parecem ou parecem o que não são.
A doce jovem atendia pelo nome de Sadb (que coincidência ou não, significa "A Doce" ou "A Bondosa") e adorava correr pelos campos floridos. Ela gostava de sentir o vento em seu rosto, pois isto a fazia sentir uma sensação de liberdade indescritível.
Certo dia, seu pai Bodb Dearg, filho do Dagda, irmão de Óengus e rei dos sidhes de Munster, apresentou sua filha Sadb a um poderoso druida de seu povo, chamado Fer Doirich. Não era costume que o pai escolhesse o noivo da filha, mas a intenção de Bodb ao promover esse encontro certamente era que sua filha se interessasse pelo druida e desta forma tê-lo como aliado em suas guerras.
Sucedeu, pois, que o druida Fer Doirich apaixonou-se perdidamente por Sadb e demonstrou-se disposto a qualquer coisa para tê-la como esposa. Porém, Sadb era uma moça de coração tão puro e portadora da Segunda Visão e em seu íntimo ela viu que o druida era um ser de coração corrompido e maligno, e decidiu que jamais se casaria com um homem tão cheio de trevas como este.
Sadb decidiu ir ao encontro de Fer Doirich para docilmente dizer-lhe que não poderiam se relacionar.
- "Senhor druida Fer Doirich, digo-lhe que é uma honra que tu tenhas interesse por mim. Mas sinto em dizer que não podemos nos casar. Eu sou um espírito livre, gosto de correr pelos bosques. Um casamento iria fazer-me sentir como um pássaro engaiolado".
Sadb jamais imaginou que mesmo falando tão docilmente seria capaz de despertar tamanha ira no druida. Este, por sua vez, levantou seu cajado de aveleira e jogou-lhe uma maldição:
- "Livre tu serás para todo o sempre. Correrá pelos bosques para todo o sempre. No corpo de uma corça branca tu caminharás".  E dizendo isso, transformou Sadb num pequeno cervo branco, frágil e indefeso.
Então, apavorada com toda aquela confusão em sua mente meio - gente - meio - cervo, Sadb fugiu do mundo das fadas e foi para o mundo dos humanos (ou quase humanos) na esperança de se livrar de Fer Doirich. Ela então se aconchegou junto à algumas árvores e ali adormeceu.
Três anos depois, Fionn Mac Cumhaill, guerreiro e líder dos Fiannas, saiu para sua caçada matinal com seus cães Bran e Sceolan. De longe Fionn avistou um pequeno cervo branco descansando por entre as árvores e viu ali uma oportunidade de caça. Ordenou então que seus cães fossem atrás do cervo e assim eles fizeram. Porém, para a surpresa de Fionn, seus cães não atacaram o cervo, ao invés disso o encheram de lambidas e cumprimentos carinhosos. Ele então ficou maravilhado com a cena e resolveu deixar que o cervo continuasse livre e voltou para seu castelo. Durante a noite, Fionn foi tomado por um sonho maravilhoso onde uma bela moça apareceu e lhe deu a seguinte mensagem:
- "Fionn Mac Cumhaill, grande guerreiro, sou eternamente grata por ter poupado-me da morte. Meu nome é Sadb, filha de Bodb Dearg, filho do Dagda. Fui amaldiçoada pelo druída Fer Doirich a viver eternamente na forma de uma corça por ter rejeitado seu amor."
No dia seguinte Fionn acordou maravilhado deste sonho e entendeu porque seus cães não atacaram o cervo: eles também possuíam espírito humano e reconheceram que aquele cervo não era um simples animal.
Então, ele saiu apressado com seus cães para tentar encontrar Sadb pela floresta. Não demorou muito e ele avistou o cervo deitado ao pé de um belo Carvalho. Correu até ele e disse:
- "Sadb, eu sei quem você é! Venha comigo e se abrigue em meu castelo, lá a maldição de Fer Doirich não tem poder."
Chegaram então ao castelo e no mesmo instante Sadb voltou à sua forma humana, bela e doce como antes. Fionn se apaixonou por Sadb deste o momento em que sonhou com ela e Sadb se apaixonou desde o momento em que ele a poupou da morte, e então decidiram se casar.
Os dias se passaram e ambos estavam tão apaixonados que Fionn abriu mão de suas caçadas somente para estar ao lado de sua amada e, para a felicidade de ambos, descobriram que Sadb estava esperando um bebê. Eles estavam muito felizes e quase todos os dias haviam festas no castelo dos Fiannas. Mas algo que mudaria a vida deles para sempre aconteceu.
Sucedeu nos dias seguintes uma invasão Viking, e Fionn precisou ir à guerra com seus homens, deixando para trás sua esposa.
Sadb estava profundamente triste pela falta de seu marido e contava os dias para que retornasse o mais breve possível para o aconchego de seus braços. Ela também se sentia chateada por ter de ficar no castelo e poder passear apenas nos arredores, local que ela sabia ser o único seguro contra o druida Fer Doirich.
Alguns dias depois, Sadb estava colhendo ervas no jardim do castelo e avistou de longe Fionn e seus cães Bran e Sceolan. Seu coração se encheu de alegria e então correu para os braços de seu marido, que estava bem longe dos arredores do castelo. Mas, para sua profunda tristeza, no momento em que ela chegou bem próximo de Fionn, o homem se transformou em Fer Doirich. Era o fim de sua alegria. O druida pegou seu cajado e atacou Sadb, fazendo com que ela retornasse para a forma de cervo. Então, assustada, Sadb correu o mais longe que pôde e o mais rápido que suas patas permitiam. Ela não pensou em voltar para o castelo, ela apenas desejou correr e correr o mais rápido e longe que ela poderia. E assim ela fez.
Fionn passou sete anos à procura de sua amada até que finalmente encontrou um garotinho aconchegado na relva da floresta ao pé de uma grande árvore. Ele ficou curioso com a cena e perguntou ao garoto o que estava fazendo por ali.
- "Eu moro na floresta. Uma doce corça cuidou de mim a vida inteira, me dando comida e abrigo." - disse o garotinho. No mesmo instante Fionn teve absoluta certeza de que este garoto era seu filho e lhe deu o nome de Oisín ("pequeno cervo"), que futuramente seria um dos maiores poetas da Irlanda, um guerreiro dos Fianna e narrador de boa parte do Ciclo Feniano.
Infelizmente, Sadb nunca mais foi vista por Fionn. Ela escolheu continuar livre vivendo na floresta e correndo pelos bosques floridos.

FIM!

Espero que tenham gostado. A história não aconteceu exatamente assim. Essa é uma adaptação feita por mim de acordo com as informações que encontrei por aí a fora.
Se gostou da história de Sadb, continue acompanhando o blog e nossa página no facebook, pois logo trarei um texto abordando seus aspectos e semelhanças com Elen.

'Sadb' de Jim Fitzpatrick


~~ Atenção ~~ 
A violação de direitos autorais é crime: Lei Federal n° 9.610, de 19.02.98




- FONTES DE PESQUISA: