17 julho, 2015

#conto: Luzantia e Calinte



Havia uma floresta chamada Luz Brilhante, que recebeu este nome porque era sempre iluminada, independente da estação do ano, mesmo enquanto o resto do mundo dormia o tempo inteiro na escuridão. Isto acontecia pois, a Luz Brilhante era governada por uma fada rainha chamada Luzantia, que recebeu a função de guardiã da Floresta por ser a fada mais bela e mais brilhante do Outro Mundo.
Luzantia era uma boa fada rainha, por um bom tempo governou a floresta de maneira respeitável e sempre foi capaz de manter a ordem no local. Mas, nos últimos anos as coisas estavam ficando difíceis pois, havia uma bruxa chamada Calinte que ameaçava a floresta com frio e escuridão. Calinte nunca fora permitida entrar ali, pois, Luzantia sempre considerou sua natureza hostil demais para se misturar com o brilho eterno daquele lugar.
Com o passar do tempo, a bela fada brilhante começara a permitir que seu ego inflamasse e passou a considerar-se a força de vida mais poderosa de todos os Reinos e, isso de alguma forma começou a enfraquecer o brilho da floresta e também força vital de Luzantia, que deixava um rastro de orgulho por onde quer que andasse.
Esta fraqueza abriu espaço para que Calinte conseguisse penetrar na Floresta sem que Luzantia percebesse. Calinte era uma bruxa digna de sua própria natureza. Era velha, cabelos longos e cinzas,
seus olhos eram saltados e brancos. Gelo e escuridão podiam ser vistos nos locais por onde Calinte havia passado, porém, apesar de seus atributos exóticos, ela não possuía o mal em seu coração. Ela apenas gostaria de um lugar para que pudesse compartilhar suas histórias frias.
O ambiente tornara-se hostil com a presença de Calinte na Floresta devido ao frio intenso. Alguns animais morreram congelados pois foram pegos desprevenidos. Tudo estava fora do controle de Luzantia e o desespero tomou conta de seu coração atm que finalmente as duas forças poderosas se encontraram: luz e escuridão, calor e frio, vida e morte, Luzantia e Calinte.
- É hora de você sair da minha floresta, bruxa mortal! – disse Luzantia com autoridade.
- Não sairei atm que eu tenha meu espaço na Floresta também. – respondeu Calinte num tom frio, porém suave.
- Forças opostas não podem viver juntas sua velha tola, você está destruindo minha floresta!
Então Calinte olhou profundamente nos olhos de Luzantia e com apenas uma pergunta a fez estremecer por completo: - Você tem certeza que somos tão opostas? Como você explica, que após tantos anos, somente agora consegui entrar aqui?
Ambas permaneceram sombriamente caladas, encarando-se, até que perceberam uma movimentação diferente na floresta. Alguns animais estavam se aproximando das duas e algumas árvores pareciam estar se locomovendo. Sem que elas vissem de onde exatamente era a origem de toda aquela barulheira, um grande Carvalho, provavelmente o maior e mais antigo de todos, se aproximou das duas e começou a falar:
- Saudações, nobres senhoras. Eu sou Oakman, o guardião dos bosques e de todas as árvores do mundo. Devo dizer-lhes que o tempo de discussões entre as duas termina hoje. Há a necessidade de um equilíbrio natural e para que isto seja possível, m necessário um acordo entre vocês. Luzantia, grande fada brilhante, sem que você percebesse o seu ego vem apagando aos poucos o brilho da Floresta. Apesar da natureza gélida de Calinte, ela não vem cercando a floresta em busca de destruição, mas sim em busca de paz.
- Como uma velha congelada por dentro e por fora pode ser capaz de buscar a paz? Olhe ao seu redor, está tudo tão escuro e frio por aqui, por culpa dessa bruxa! – Luzantia de fato ainda não percebera o quão dura estava sendo suas palavras e não havia se dado conta de que há anos atrás jamais teria se referido um ser do Outro Mundo desta forma.
- Devo lembra-la, senhorita Luzantia, que o que sempre manteve esta Floresta viva foram sua compaixão e simplicidade. O amor por todos os seres viventes lhe tornou digna de ser a guardiã deste local. Mas, a floresta começou a morrer desde o momento em que seu coração apresentou os primeiros sinais do Orgulho. Como guardião dos Bosques do Mundo, eu proponho um acordo entre vocês.
As duas observavam e ouviam atentamente as palavras daquele sábio ancião. Elas sabiam que ele não era um simples Carvalho. Quando ele terminou de falar, começou a caminhar lentamente atm o centro da Floresta. Posicionou seus grandes galhos em direção terra sobre suas raízes profundas e após alguns instantes, uma fenda começou a surgir e lentamente uma bela macieira começou a emergir das profundezas da terra. Pronta, viva e mais brilhante que o próprio Sol.
Oakman olhou profundamente para Luzantia e Calinte e recomeçou a falar: - Saudações Brihda. Grande mensageira dos Mundos. A gloriosa macieira da Esperança. Ela permanecerá aqui para sempre como sinal da trégua de vocês. Luzantia e Calinte, a partir de hoje as duas governarão a floresta Luz Brilhante, porém, em épocas diferentes. Cada uma governará este local por um período de 6 meses. Enquanto Calinte governar a floresta, Luzantia vagará pelo Mundo espalhando a luz da Primavera e quando chegar o momento de Luzantia carregar o cetro, então Calinte levará pelo Mundo o frio do Inverno.
- Como saberemos a hora certa de deixar a Floresta sem que haja algum tipo de confusão entre nós? – perguntou Calinte, calmamente.
- É para isso que Brihda está aqui. Durante o Inverno, suas folhas permanecerão verdes e muito vivas como uma promessa, uma lembrança aos habitantes da floresta de que a primavera chegará em algum momento, para que não percam as esperanças de viver a alegria colorida de Luzantia novamente. E no momento em que as maçãs aparecerem, então Calinte saberá que chegou sua hora de partir e entregar a floresta Luzantia. Da mesma forma, durante toda a Primavera na floresta, Brihda permanecerá cheia de maçãs lindas e suculentas, que poderão ser comidas pelo povo habitante da Luz Brilhante. Porém, no momento em que suas maçãs começarem a secar e a cair ao chão, então Luzantia saberá que chegou a hora de entregar o reinado novamente Calinte. E este ciclo se repetirá para sempre.
Ambas aceitaram o acordo e decidiram que seria justo Luzantia ser a primeira a dar início a este ciclo. E foi assim que o equilíbrio foi estabelecido entre a Floresta e o Mundo.



*Este conto foi inspirado em mitos e lendas de Imbolc envolvendo as deusas Brigid e Cailleach

Autora: Jully Basilio

~~ Atenção ~~ 
A violação de direitos autorais é crime: Lei Federal n° 9.610, de 19.02.98